Testemunho






Batismo em 25/05/2008

Quando criança costumava ir na igreja com minha avó aos domingos, até gostava, mas não sabia que tinha esse negocio de aceitar Jesus...rs.
Cresci e fui morar em outras cidades com meus pais, vi de perto muitas coisas ruins, tive oportunidade de participar de coisas que certamente me trariam problemas mais tarde, como drogas, bebidas e prostituição, mas não deixei me influenciar.
Costumo dizer que fui criada com princípios e com exemplos de pessoas que fizeram besteiras e se deram mal, confesso que fui um pouco rebelde, por não aceitar muitas coisas em minha vida, fui ignorante, e contestei sobre muitas coisas, acho que foi mais uma expressão, e também forma de me defender...
Quando tinha 17 anos voltei a morar aqui em Vitória da Conquista, tinha meus antigos amigos, mas o fato de ir morar em outro bairro, me fez conhecer pessoas bem diferentes. Pessoas que tinham um amor incomum, que tinha prazer em cuidar de outras vidas, por amor a Cristo. Daiane, Cláudia e Isabela. Me apeguei a elas e comecei a freqüentar a igreja com Daí, e percebia o quanto todas elas se preocupavam com minha vida, mas era aquela mesma história, não achei que tinha que aceitar Jesus, achava que estar indo na igreja já estava de bom tamanho...
Mas o fato é que eu também freqüentava um centro espírita, por curiosidade ou para obter algumas respostas de pessoas que já morreram. Queria que um espírito de alguém que já tivesse morrido falasse comigo... rsrs... Quanta besteira! Freqüentei durante uns 5 anos, até o dia em que Deus permitiu que um falasse comigo, não era ninguém conhecido e sim o próprio inimigo, manifestado, ali ouvi coisas horríveis, tive um mau estar tão grande, que fui pra casa só pela misericórdia de Deus, com uma dor de cabeça terrível e ânsia de vomito, que demorou dias para passar, foi a pior experiência que tive, prometi pra mim e pra Deus nunca mais voltar, até que tudo passou...
Mas nesse mesmo tempo enfrentei vários problemas familiares e de saúde e vi de perto o cuidado de Deus comigo e com minha família.
Era como se Deus tivesse o tempo todo me chamando, tinha lá minhas noites de orações, todos os dias era rotina, depois que todos iam dormir eu pegava a bíblia, orava, me ajoelhava, deitava no chão do meu quarto, e chorava no colo do meu Pai, eu dizia não aceitar muitas coisas em minha vida... mas isso só não era o suficiente, faltava mais, faltava compromisso com Deus, não era só orar, pedir, agradecer, e depois sair pra uma farra, era compromisso que faltava, intimidade com Deus, aceitar Ele de fato e viver para Ele em todos os sentidos e situações de minha vida e não só na hora que as coisas apertavam...
Comecei a me relacionar com uma pessoa desviada e tive aquele relacionamento como meu porto seguro. Sofri muitas decepções nesse tempo, e tudo em minha vida começou a desandar, fiz coisas que antes não imaginava fazer, não sabia o que pedir a Deus, uma noite pedia para acordar sem memoria, esquecer toda a minha vida, e viver uma vida diferente, pedia até para morrer...
Mas hoje vejo o amor dEle por mim, Ele não me abandonou em momento algum, ficou do meu lado, me deixou andar com minhas próprias pernas para ver o quanto era doloroso, eu andava tão indecisa, tinha uma vida tão errada, mas Ele foi fiel comigo e me esperou paciente do meu lado, me guardando o tempo todo. Ouvia louvores e me referia a Deus de uma maneira irônica dizendo, “Deus está me tocando”, e ficava o tempo todo batendo resenha com isso, chamava o cara pra ir pra igreja mas ele disse que não voltaria mais pra igreja, por decepções sofridas. O fato também era que eu idolatrava o cara demais, e foi ai que Deus decidiu dar um fim nisso tudo, estávamos com tantos planos, que foram desmanchados.
Fiquei num estado terrível, emagreci demais, entrei em depressão e tive que me tratar, tudo estava indo bem, até a psiquiatra dizer que tinha que ir embora da cidade, no mesmo dia sai chorando do consultório, me perguntando “e agora o que eu vou fazer?”.
Encontrei uma amiga Gleide, numa situação parecida, me chamou pra ir numa igreja evangélica naquela quarta feira, final de julho do ano de 2007.
Tempos depois, no dia 21/10/2007 pela primeira vez ouvi um louvor Aos pés da cruz, dentro do ônibus e cai no choro, percebi o quanto já estava firme na presença do Senhor, me imaginei na igreja, o pastor fazendo o apelo, eu indo pelo corredor os irmãos batendo palmas e orando por mim... Corri pra igreja e justo nesse dia o pastor não fez o apelo, mas fui até ele cobrando o apelo e finalmente aceitei Jesus.
Uma felicidade tão grande tomou conta de mim naquela noite, que dura até hoje... Glórias a Deus!
Percebi que a única coisa que Deus quer é que nos tornemos dependentes dEle, tudo nesse mundo nos trará dor e sofrimento, teremos dias maus, iremos sofrer por demais de todos os lados.
O importante é aceitarmos Jesus em nossa vida, e todos os dias, porque quanto mais dizemos “sim” a Ele damos espaço para que Ele trabalhe em nossas emoções e mais sujeitos estamos a receber os milagres de Deus.
Ele é perfeito, simples, carinhoso, amoroso, atencioso, me ouve, é meu amigo, meu sustento, meu alimento, meu tudo...
Tudo perde o valor quando se fala de Jesus, e não dá vontade de párar de falar dEle, não tem como expressar, temos que vivê-lO.
Falar de religião, de problemas, darem testemunho, ou qualquer outro assunto é fácil e comum, mas falar de um HOMEM que vive e muda a nossa vida todos os dias é diferente.

(L.D.)