11 abril 2009

Chuva para abençoar Luka e Thay


Hoje tudo indicava que seria um dia normal, ou seja, sem maiores emoções(...)
Até que 3h00, Eu e Thai fomos acompanhar mame até a casa do meu avô, sabiamos que ia cair a maior chuvona, falamos, falamos (...) mas parece que esse fato nem nos incomodou tanto, e fomos (risos) Eu não sei quem é mais doida de nós três, Eu Thai ou mame (...) Sabendo que ia chover saíndo de bicicleta, e mame nem um guarda chuva pegou (...) Normal.
Quando chegamos perto do Bom Preço a chuva começou, olhamos pra trás dava medo (...), não se enxergava muito, mas continuamos, na maior farra (risos).
Conseguimos chegar no Bom Preço, e a chuva caiu finalmente com vontade (...) Iruu!!!
Ficamos presas lá, lógico, por quase uma hora, mame sem poder ir pra casa do meu avô e a gente sem nem sequer voltar. Até que finalmente mame conseguiu uma carona, nós esperamos mais um pouco, e quando diminuiu a chuva, resolvemos encarar (...) Heeee!!!
*
Ah! se eu soubesse que seria tão bom, teria ido a mais tempo.
Chuva sem trovões e raios, e um baita calorzão, nossa, bom demais!
Foi uma farra a gente na chuva, acho que em menos de tres minutos nos encharcamos (risos), e a água que vinha do pneu de trás fazia um rastro nas nossas costas, eu toda de preto, ficou marrom, Thay deu pra disfarçar um pouco, tava de azul.
*
Enfim quando estavamos chegando em casa, eu falei brincando; " - Tá tão bom que eu teria até coragem de ir até na UESB agora (...)" Oh Deus pra que(...) a doida aceitou e ainda falava: " - Iu se ferrou porque sua amiga é doida e topa (...)" Eu não ia fugir né (...).
Pense ai já estavamos praticamente na Franklin Ferraz, (pra quem conhece) e encarar mais quase 4 quilometros, fora a volta, (risos).
A chuva parece que fez até de pirraça, tava quase parando, mas voltou com mais vontade.
Ahh seu moço aí é que ficou bom (...)
E assim fomos, passando pelas poças de água, tava até limpinha, já havia quase uma hora de chuva, já tinha lavado as ruas.
*
Me senti como criança, fazendo coisa errada, como se chegasse em casa mame e pape fosse dá bronca, mas eu só ia encontrar pape, ainda bem, porque mame dá bronca mesmo, de tudo (...).
Quando criança não tinha essas regalias não, muito menos de sair na pra rua assim em dia de chuva, a não ser quando com uns 14 anos eu meu irmão Ró, Guiba, e alguns amigos fomos tomar chuva na praia escondido, e no final levamos a maior bronca (...)
Então (...) A chuva já tinha encerrado lá pela UESB, mas fomos, não tinha ninguém na rua, só a gente. Oh povo medroso.
Mas pense em um negócio massa, oh trem bom viu, ainda mais quando se tem companhia assim de gente doida ( oh Thay foi maus... - risos)
*
Essa foi a nossa segunda chuva juntas, a primeira foi fazendo caminhada (risos).
Ela (Thay), falou que seria bom pra tirar mau olhado, olho gordo, stress (...) diversas coisas.
É quando a gente se permite viver certos momentos é muito bom(...)
Parece que lavava minha alma, estava leve, parecia que a chuva era só para nós duas, parecia que só existir a gente no meio da rua do mundo no meio da chuva, a girar que maravilha (...)dores não sentia mais nenhuma, só um sorriso escancarado no meio da chuva (...)
Chuva abençoada.
Chegamos em casa ainda estava claro, eram 5h30 ainda, pape com uma cara, estampado no rosto, como se falasse; " - Bicho, quanta disposição viu (...)" Olhou tudo, fui pro quintal ainda na chuva lavar minha magrela (bicicleta) tinha um pouco de areia, e ele perguntou; " - Molhou muito?" Achei en graçado, como se eu tivesse achando ruim, eu só respondi que sim, e porque queriamos (...) Eu disse que ele não brigava(...)
*
Lavei minhas roupas e fui tomar banho, tava morrendo de rir debaixo do chuveiro, estava de areia até na cabeça, imagine Thai com aquele cabelo todo(...)
Fiz um chocolate quente e sentei-me de frente o meu pretinho (computador), falei com ela que ia registrar isso no meu blog, depois tiramos uma foto para colocar aqui (...)
Meio a isso tudo lembrei de uma frase de uma música;
*
(...) não há vento ou tempestade que te impeçam de voar (...)
*
Não era esse o meu plano para o dia de hoje, mas foi perfeito, faria tudo outra vez, o bom da vida são esses momentos, o inesperado, como eu disse no final, passeio de bicicleta na chuva não tem preço, para todas as outras coisas nosso cartão paga. (risos)
Por hoje estou satisfeita!
*
Abre Senhor as comportas do céu e faz chover a tua chuva de bençãos!!

*


*

*

(L.D.)

Nenhum comentário:

Postar um comentário